MANBOL COMO INICIAÇÃO E PRÁTICA ESPORTIVA

Autores

  • Leonardo Leite de Jesus
  • Lídia Batista Leite de Jesus

DOI:

https://doi.org/10.56069/2676-0428.2022.177

Palavras-chave:

Manbol, Educação Física Escolar, Iniciação Esportiva, Prática Esportiva.

Resumo

A prática pedagógica do professor de educação fisica escolar abrange uma gama de responsabilidades pedagógicas que envolve a elaboração, a participação, a avaliação e a formação dos alunos para atuar empírica e democraticamente na vida em sociedade. Diante desse papel tão multifacetado, justifica-se a implementação, na sala de aula, de um esporte que tenta reunir todos os conteúdos referentes à educação física, o chamado Manbol, que popularmente significa “bola de mão". Essa atividade esportiva, em contexto de Educação Básica, contribui tanto para a parte psicológica em prol de se superar o medo do fracasso e de liberar as tensões de não ser habilidoso o suficiente, quanto para os aspectos físicos, como ser capaz de desenvolver habilidades motoras específicas, a partir de premissas simples e levando em conta o trabalho em equipe. Face a esse contexto, este artigo busca apresentar o Manbol como uma iniciação e uma prática esportiva que pode compor a Educação Física Escolar.

Biografia do Autor

Leonardo Leite de Jesus

Especialista em Educação Física Escolar, Mestre em Ciências da Educação – UDS/PY e Professor na EEEFM Ricardo Cantanhede – SEDUC/RO

Lídia Batista Leite de Jesus

Especialista em Ciências Sociais com ênfase em História, Geografia e Meio Ambiente e Mestre em Ciências da Educação – UDS/PY e Professora na EEEFM Ricardo Cantanhede – SEDUC/RO.

Referências

CBM, Confederação Brasileira de Manbol. Folheto Informativo, Belém-PA, 2006.

BETTI, Irene C.R. Valores e finalidades na Educação Física escolar: uma con-cepção sistêmica. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Vol. 16, n. 16, 1994.

BORELLA, Douglas Roberto; SCHNEIDER, Makiele e STORCH Jalusa Andréia: Avaliação da coordenação motora: comparação entre crianças do meio urbano e meio rural, Revista Digital, Buenos Aires, vol. 15, nº 149, Outubro, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Pa-râmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília: MEC, 1998.

DARIDO, Suraya. Cristina. A educação física na escola e o processo de forma-ção dos não praticantes de atividade física. Revista brasileira de educação física e esporte, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 61-80, jan./mar. 2004.

DARIDO, Suraya Cristina. SOUZA JÚNIOR, O. M. Para ensinar educação física: possibilidades de intervenção na escola. Campinas, SP: Papirus, 2007.

FERREIRA, Vanja: Educação física, recreação, jogos e desportos / Rio de Janeiro, 3ª edição, Sprint, 2010.

LÓPEZ, L. M. G. La transferencia en los modelos horizontales de Inicia-ción Deportiva. Tesis Doctoral inédita. Universidad de Castilla-La Mancha, 2004.

SILVA, André Calil e; ZAMBONI, Milton José: Educação Física, Esporte e Cul-tura no Ensino Superior: íntimas relações com o Brasil e a atualidade. Motriz Revista de Educação Física. UNESP, Rio Claro, v.16 n.4, p.1045-1051, out./dez. 2010.

SILVEIRA, S. R et. al. Aquisição de a habilidade motora rebater na Educação Física escolar: um estudo das dicas de aprendizagem como conteúdo de ensi-no, Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, vol. 27, nº 1, p.149-157, Jan - Mar, 2013.

VAGO, T. M. Início e fim do século XX: maneiras de fazer educação física na escola. Cadernos Cedes, Campinas, SP, ano 19, n. 48, p. 30-51, ago. 1999.

Downloads

Publicado

2022-08-23

Como Citar

JESUS, L. L. de; JESUS, L. B. L. de. MANBOL COMO INICIAÇÃO E PRÁTICA ESPORTIVA. Revista Científica FESA, [S. l.], v. 1, n. 17, p. 64–76, 2022. DOI: 10.56069/2676-0428.2022.177. Disponível em: https://revistafesa.com/index.php/fesa/article/view/177. Acesso em: 28 set. 2022.